Portal Sistema Firjan
menu

O Sistema FIRJAN

TIC-500x400.jpg

TIC

O setor de TIC
e o Sistema FIRJAN

As Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) podem ser entendidas como um conjunto de recursos tecnológicos integrados entre si, que proporcionam, por meio das funções de hardware, software e telecomunicações, a automação e comunicação dos processos de negócios, da pesquisa científica e de ensino e aprendizagem. Com o avanço das TICs, o modo de se comunicar tornou-se ágil e democrático, possibilitando a manipulação de conteúdos digitalizados e interativos, facilitando o seu compartilhamento "de muitos para muitos" e configurando uma atuação colaborativa.

O Brasil caminha para, muito em breve, possuir uma representatividade em TIC relevante em seu PIB, assim como já ocorre nos países considerados de primeiro mundo. Isso sinaliza o potencial de expansão que as TICs podem oferecer ao país. Atualmente, o Brasil ocupa as primeiras posições no mercado mundial e deseja subir ainda mais no ranking em curto espaço de tempo. Considerando que o país possui a maior taxa de crescimento global do setor e que responde por mais da metade dos gastos de TIC na América Latina, essa meta é bastante viável.

O Brasil já assimilou a relevância da TIC como motor de aceleração socioeconômica de um país. Tal como as tecnologias genéricas, os bens e serviços das TIC são fatores determinantes do crescimento da produtividade industrial e sua competitividade em todos os setores. O Sistema FIRJAN dedica especial atenção a essa dinâmica de relações da chamada "Sociedade da Informação e do Conhecimento" e, por meio de um plano de apoio à indústria TIC fluminense, fomenta o desenvolvimento do setor junto às comunidades empresarial, institucional, governamental e acadêmica. Elas recebem acesso às informações de mercado e tendências, conhecem os mecanismos de financiamento e propriedade intelectual, se aprimoram com os cursos de qualificação executiva e profissional e participam de workshops, rodadas e palestras, com foco nos pilares definidos como prioritários pelos especialistas do setor.

O SENAI oferece ao setor de TIC a Unidade Móvel de Informática.

O setor de TIC é transversal a todos os demais setores, oferecendo diversas aplicações em cada cadeia.

O setor de TIC está estreitamente relacionado com o(s) setor(es):

Audiovisual

Destaques e ações para o setor

Serviços para o setor

Diante da importância do setor para a economia do estado do Rio, o Sistema FIRJAN oferece um conjunto de ações, projetos e serviços estratégicos para impulsionar a competitividade das indústrias fluminenses. Confira abaixo:

Acesso a mercados

Promover a indústria do Rio em outros mercados nacionais e internacionais, capacitar as indústrias para acessar esses mercados e construir conexões entre demandantes e ofertantes são linhas de ações oferecidas pelo Sistema FIRJAN. Este pilar contempla a realização de eventos internos, de missões e caravanas, além da possibilidade de apoio ou patrocínio a eventos do setor, como o Conexão TIC, que visa aumentar a participação das empresas de TI e TELECOM fluminenses junto às grandes demandantes dos setores propostos, no que tange a soluções, serviços, P&D e Inovação, além de gerar uma maior compreensão do mercado e, automaticamente, maior competitividade para as empresas. Existem também as Missões/Caravanas nacionais e internacionais para promover a indústria TIC do Rio nos principais mercados do calendário de festivais, com uma agenda focada em inovação, negócios e tendências, disseminando ferramentas de acesso a mercados e de realização de parcerias internacionais.

Ambiente de negócios

O Sistema FIRJAN atua na representatividade das indústrias fluminenses, dialogando com as autoridades municipais, estaduais e federais em questões relevantes para o desenvolvimento e a competitividade industrial. A representatividade inclui a atuação nos grupos organizados e eventos relacionados à discussão das políticas públicas eleitas como relevantes pelo setor de TIC, como também no delineamento da pauta de TIC do Sistema FIRJAN no que diz respeito a relações de trabalho, segurança jurídica, desburocratização, tributação e legalização de software. A informação qualificada se dá mediante o mapeamento TIC que, a partir de dados secundários, apresenta o setor em números com o objetivo de influenciar políticas públicas e orientar ações empresariais.

Já o seminário de fomento para TIC engloba oficinas e cursos de capacitação em mecanismos de incentivo à inovação, identificando os instrumentos de apoio e as linhas de financiamento, como os editais SESI/SENAI e de instituições como Faperj, Agerio, BNDES E Finep, bem como os incentivos fiscais previstos na legislação, como os da Lei do Bem. É uma orientação sobre a melhor forma de redigir projetos para a captação de recursos e sobre a questão da propriedade intelectual. Por sinal, a oficina de propriedade intelectual para TIC dissemina os fundamentos da proteção de software, bens intangíveis cujo valor econômico reside exclusivamente no conjunto de direitos autorais, proteção do conhecimento e demais conexos adquiridos ao longo de sua cadeia de produção. É preciso que a implementação de normas de aquisição, uso e transferência desses direitos permitam ao produtor o máximo de previsibilidade quanto ao retorno dos investimentos dele e de seus parceiros.

Por fim, o fórum empresarial realiza encontros com empresários do setor para discutir os principais desafios e oportunidades do setor e a atuação do Sistema FIRJAN e da comunidade TIC no estado. Os temas selecionados para os encontros 2015 são: acesso a mercados, ambiente de negócios e análise de tendências.

Educação

Em Educação, o IEL oferece capacitação empresarial de excelência nas áreas de gestão e inovação, soluções customizadas para atender às necessidades de capacitação dos executivos, ações de empreendedorismo e de promoção do estágio na indústria fluminense. Já o SENAI realiza ações de educação profissional, com o objetivo de atender à necessidade de mão de obra qualificada por parte da indústria. Em educação profissional, por exemplo, a ideia é desenvolver o setor por meio da formação de mão de obra técnica especializada que atenda às necessidades presentes e futuras do setor, atualizando competências e portfólio de cursos do SENAI a partir do diálogo com o mercado.

Por outro lado, a educação executiva foca na principal carência apontada por empresários, que é a formação de líderes capazes de atuar no mercado TIC, em corrente transformação e expansão. Para tal, o IEL criou um curso de formação executiva para disseminar as ferramentas e os caminhos para acesso aos recursos oferecidos ao setor e, ao mesmo tempo, fomentar a construção de rede empresarial em parceria com uma instituição de ponta. Além disso, existe a necessidade de trabalhar as atuais competências dos produtores e agregar novas metodologias de design thinking, gestão de intangíveis, geração de modelos de negócios, mapeamento de pessoas, Lean Software, etc.

Vale ainda mencionar o Comitê Técnico Setorial TIC, um grupo de trabalho com os principais agentes do mercado e instituições de ensino e de classe para a construção de competências dos profissionais da cadeia produtiva da TIC, e o Seminário IEL Internacional TIC, que apresenta estudo de caso com um relevante player do mercado internacional com o intuito de despertar o senso de criatividade e inspirar ações inovadoras entre o empresariado TIC fluminense.

Foco de atuação

O Sistema FIRJAN promove ações para estimular o encontro das lideranças empresariais do setor, com o objetivo de mapear focos de atuação, desafios e oportunidades e definir estratégias para o desenvolvimento setorial.

Tecnologia e inovação

Com o objetivo de manter constante atualização das empresas no mercado, o Sistema FIRJAN promove ações de mapeamento e acompanhamento das tendências, inovações, tecnologias e novas plataformas de atuação industrial. As tendências tecnológicas não são como as de outros setores, onde o universo a analisar é bem menor e as novidades não são tão impactantes e rápidas. O Future TIC visa à apropriação de informação no que diz respeito às tendências nas Tecnologias da Informação e Comunicação. Isso é feito por meio da apresentação de um especialista do mercado e do debate entre os participantes, ao final do encontro. As tendências e tecnologias do setor de TIC também são abordadas por meio da apresentação de casos de sucesso de empresas que aplicaram tecnologias e desenvolvedores de conteúdos em distintas tecnologias.

Produtividade e qualidade

Investir no aumento da qualidade da produção e na produtividade das empresas permite a redução de custos no longo prazo e aumenta a competitividade. É nesse sentido que o Sistema FIRJAN dissemina conhecimento e promove o uso de metodologias e ferramentas na resolução de problemas. A disseminação das normas ISO é fundamental, pois a normalização é uma demanda em diversos setores e a cada dia fica mais clara sua importância para a indústria TIC. A norma internacional ISO/IEC 29110 foca nas micro e pequenas organizações de TIC, maior mercado do estado do Rio. O Brasil participa do grupo de trabalho WG24, criado no âmbito da ISO para discutir o assunto e facilitar a participação das empresas de TIC nacionais no mercado global.

 

Fale com a equipe do setor de TIC

Entre em contato pelo e-mailtic@firjan.com.br

 

 

Acompanhe as ações do(s) sindicato(s) do setor tic filiado(s) à FIRJAN

A representatividade de setores da indústria fluminense se dá por meio da participação ativa dos sindicatos que compõem o Sistema FIRJAN. Para o setor de tic, os sindicatos associados ao Sistema FIRJAN são:

Sindicato da Indústria Eletrônica, de Informática, de Telecomunicações, de Produção de Software, de Produção de Hardware, de Produção de Produtos Eletroeletrônicos e Componentes no Estado do Rio de Janeiro - SINDITEC
Rua Santa Luzia, 685 - 818 - 8º Andar Centro, 330455 - RJ CEP: 20030-041
Telefone: (21) 2220-5075 | 

Associe sua empresa ao Sistema FIRJAN

Além da força da representatividade do Sistema FIRJAN, os associados têm acesso especial aos serviços do SESI, SENAI e IEL.

Associe-se
 
Para Empresas
Competitividade Empresarial Educação Qualidade de Vida