Portal Sistema Firjan
menu

Notícias

Economia

FIRJAN integra circuito de missões do FMI e produz diagnóstico sobre cenário econômico brasileiro

Guilherme Mercês destaca os estudos "A situação fiscal dos estados brasileiros" e IFGF, divulgados neste ano

Guilherme Mercês destaca os estudos "A situação fiscal dos estados brasileiros" e IFGF, divulgados neste anoFoto: Renata Mello - Sistema Firjan

28/11/17 18:34  -  Atualizado em  28/11/17 18:59

O Sistema FIRJAN recebeu neste mês de novembro representantes do FMI (Fundo Monetário Internacional) que estiveram no Brasil para conhecer a atual situação econômica do país. O gerente de Estudos Econômicos da Federação, Guilherme Mercês, destacou em sua apresentação dados relacionados à situação fiscal de estados e municípios, com base nos estudos “A situação fiscal dos estados brasileiros” e “Índice FIRJAN de Gestão Fiscal” (IFGF), divulgados neste ano.

Com base no IFGF, Guilherme Mercês destacou que 25 milhões de brasileiros vivem em municípios que não prestam contas à sociedade. O estudo aponta ainda que as cidades têm dependência crônica de transferências estaduais e federais, sendo que 82% não geram sequer 20% da própria receita. Restos a pagar tornaram-se a forma tradicional de financiamento e assim R$ 6,3 bilhões são deixados para próximas administrações pagarem.

Mercês também abordou as contas estaduais. No caso do Rio de Janeiro ele ressaltou que, apesar do acordo de recuperação fiscal prever equilíbrio orçamentário até 2020, serão necessárias medidas adicionais para isso. A missão do FMI deste mês de novembro foi chefiada por Antonio Spilimbergo e teve a participação de Fabian Bornhorst, Damiano Sandri, Izabela Karpowicz, Mauricio Soto, Nina Biljanovsk.

Circuito de missões do FMI

Hoje o Sistema FIRJAN integra o circuito de missões do FMI, que tem o objetivo de subsidiar relatório anual da instituição. Além da Federação, fazem parte do circuito o Banco Central, o Ministério da Fazenda, a Fundação Getúlio Vargas e departamentos de economia de grandes bancos privados. “Na prática, isso representa mais um ‘certificado’ para nossa atuação no estudo da economia brasileira e do estado do Rio, o que aumenta nossa credibilidade”, ressalta Guilherme Mercês.

A Federação também foi convidada a escrever estudo para livro que será publicado pelo FMI sobre o Brasil em 2018. A publicação trará pesquisas feitas por especialistas brasileiros e pela equipe do Fundo. A ideia é discutir temas como “Crescimento e Políticas Sociais”, “Governança e Corrupção, e os desafios para o Quadro Fiscal” e o “Quadro Monetário e Fiscal”. A proposta é apresentar uma coletânea de lições e conselhos políticos para o próximo governo. A previsão é que o livro seja publicado no final de 2018. Trechos já seriam distribuídos durante a reunião anual do FMI que acontece em Bali, na Indonésia, em outubro de ano que vem.
 

 
Para Empresas
Competitividade Empresarial Educação Qualidade de Vida