<img height="1" width="1" style="display:none;" alt="" src="https://dc.ads.linkedin.com/collect/?pid=535866&amp;fmt=gif">
Portal Sistema Firjan
menu

PublicaçõesBoletim Rio Exporta

Seja bem-vindo(a) ao boletim Rio Exporta. Produzido pela Firjan, é um periódico mensal que apresenta de forma detalhada os dados e análises sobre o comércio exterior fluminense: exportações, importações, saldo comercial e corrente de comércio.

Desde 2020, criamos um novo formato para visualização dos dados. Agora você pode navegar pela ferramenta pelos temas gerais, com detalhamento do conteúdo ao aplicar filtros específicos, de acordo com seu interesse. 

Destaques do comércio exterior do Rio de Janeiro | Anual 2023

  • No ano de 2023, a corrente de comércio brasileira somou US$ 581 bilhões, uma redução de 4% quando comparado com o ano de 2022. Em relação à balança comercial, o Brasil registrou superávit de US$ 98,8 bilhões, resultado das exportações, que totalizaram US$ 340 bilhões e das importações, que somaram US$ 241 bilhões. Já em relação ao estado do Rio de Janeiro, a corrente de comércio fluminense se manteve estável, atingindo US$ 72 bilhões, valor que conservou o estado como segundo maior player do comércio exterior nacional, com 12,4% de participação. Vale destacar que o Rio registrou a maior corrente de comércio desde o início da série histórica, no ano 2000, apresentando valores recordes tanto nas exportações quanto nas importações, com o saldo comercial alcançando US$ 20 bilhões.

  • No acumulado anual de 2023, as exportações fluminenses totalizaram US$ 45,9 bilhões, valor que retrata um cenário de estabilidade ao ser comparado com 2022. Essa estabilidade pode ser explicada pelo aumento de 3% nas vendas de produtos básicos (US$ 37,0 bilhões), categoria que teve a maior participação nas exportações do estado com 81%, aliado ao recuo de 14% nos embarques de produtos semimanufaturados (US$ 3,1 bilhões). No que diz respeito às indústrias fluminenses, as vendas internacionais de Petróleo e gás natural (US$ 36,1 bilhões) registraram aumento de 2% em relação ao ano de 2022, e alcançaram uma participação de 79% das exportações do estado. 

    Destacam-se também o aumento de 35% nos embarques da indústria de Máquinas e equipamentos (US$ 567 milhões), valor que em parte foi reflexo do crescimento de 1% nas vendas de torneiras, válvulas e dispositivos semelhantes (US$ 268 milhões). Por fim, ressalta-se o crescimento de 17% nas vendas internacionais de automóveis de passageiros (US$ 304 milhões) que teve a 2ª maior variação positiva entre os produtos exportados com avanço especialmente no mercado argentino.

  • Nas importações do estado do Rio de Janeiro, as compras internacionais totalizaram US$ 25,9 bilhões em 2023, valor 2% superior ao registrado no ano anterior. Vale destacar o crescimento de 13% nos desembarques de bens intermediários (US$ 14,2 bilhões), setor que representou 55% das importações fluminenses. 

    Esse aumento pode ser explicado pela evolução de 14% nas compras da indústria de Outros equipamentos de transporte (US$ 6,5 bilhões), reflexo de um crescimento de 13% nos desembarques de partes de motores e turbinas para aviação (US$ 3,3 bilhões), produto que representa 13% das importações do estado. Além disso, vale destacar a progressão de 46% nas compras da indústria de Metalurgia (US$ 1,7 bilhão), impulsionada pela evolução de 175% 
    nos desembarques de tubos de ferro fundido (US$ 518 milhões).

  • Com relação ao comércio de óleos brutos de petróleo, as exportações fluminenses totalizaram US$ 36,1 bilhões em 2023, valor 2% superior ao registrado no ano de 2022. A China (US$ 17,2 bilhões) manteve a posição de principal compradora do petróleo fluminense, com 48% de participação e um avanço de 24% em relação ao ano anterior. Vale destacar que houve aumento nas vendas para os principais mercados parceiros, com destaque para EUA (US$ 3,4 bilhões), com crescimento de 6% e Países baixos (US$ 2,7 bilhões) com avanço de 34%. 

    Já no que se refere às importações, o Rio registrou diminuição de 17% no volume de petróleo desembarcado, somando US$ 2,8 bilhões. A Arábia Saudita (US$ 1,2 bilhão) segue como principal fornecedora de petróleo do estado, com 66% de participação, enquanto a Guiana (US$ 641 milhões), com crescimento de 356% representou 34% do total. Vale ressaltar também que no ano de 2023, a média do preço do barril de petróleo atingiu US$ 91,73, indicando uma queda do valor com relação à 2022.

  • A exportações exclusive petróleo registraram redução de 4%, totalizando US$ 9,8 bilhões no ano de 2023. Essa diminuição pode ser explicada pela contração de 6% nas vendas para os EUA (US$ 3,9 bilhões), principal parceiro dos embarques fluminenses exclusive petróleo com 39% de participação. Por outro lado, é possível destacar um aumento de 31% nas exportações para a Ásia (US$ 2,0 bilhões), consequência do avanço de 124% nos embarques para a China (US$ 626 milhões). 

    Além disso, vale destacar o aumento de 345% nas exportações exceto petróleo para a AELC (US$ 312 milhões), reflexo da evolução de mais de 1000% nos embarques para a Suíça (US$ 164 milhões). Já em relação aos produtos, o setor aeronáutico destacou-se com aumento de 668% nas vendas de aviões (US$ 8,3 milhões) para o mercado francês, e crescimento de 61% nos embarques de partes de motores e turbinas para aviação (US$ 6,1 milhões) com destino à China. 

  • As importações exclusive petróleo contabilizaram US$ 23,1 bilhões em 2023, um incremento de 5% frente ao ano anterior. A União Europeia (US$ 5,2 bilhões), segundo maior bloco de origem das compras internacionais fluminenses, registrou avanço de 19%, consequência de um crescimento de 27% dos desembarques originários da França (US$ 1,9 bilhão) e, também, de uma evolução de 26% nas importações oriundas da Alemanha (US$ 1,4 bilhão). 

    Além disso, vale ressaltar o aumento de 694% observado nas vendas de coques e semicoques (US$ 222 milhões) com origem na Austrália (US$ 811 milhões), país que registrou aumento de 12% nos envios de produtos para o mercado fluminense. Já as compras do estado do Rio de produtos incluídos na Lista Covid-19 (US$ 1,6 bilhão) avançaram 34%, com crescimento de 116% da importação de válvulas de segurança ou de alívio (US$ 66,5 milhões) e o avanço de 194% nas compras originadas no mercado dinamarquês (US$ 100 milhões).

  • Ao longo de 2023, o índice Preço das exportações fluminenses reduziu 14%. Tal redução pode ser explicada pela diminuição de 15% no índice preço de Petróleo e gás natural, principal commodity da pauta exportadora, conforme observado nos valores do produto no mercado internacional. Em relação às quantidades exportadas, o índice quantum aumentou 16% em relação ao ano de 2022, atingindo o maior valor da séria histórica. Além disso, cabe ressaltar o avanço de 173% no índice quantum do setor de Máquinas e equipamentos, indústria com grande valor agregado às suas vendas internacionais.

Baixar versão em pdf

Histórico de boletins

Use os filtros abaixo para ver nosso histórico.

 
Para Empresas
Competitividade Empresarial Educação Qualidade de Vida