Portal Sistema Firjan
menu

Notícias

Firjan

Pensa Rio debate a redução das desigualdades sociais e os impactos na diminuição da violência

A educação como a melhor forma de reduzir os índices de violência a médio e longo prazo foi um dos principais pontos debatidos pelos especialistas

A educação como a melhor forma de reduzir os índices de violência a médio e longo prazo foi um dos principais pontos debatidos pelos especialistasFoto: Divulgação

Tempo médio de leitura: ...calculando.

Publicado em 25/03/21 09:47  -  Atualizado em  25/03/21 10:09

A redução da desigualdade social precisa passar pela requalificação do policiamento e união de esforços do estado e da sociedade em nome da prevenção. Essa foi uma das ideias defendidas pelo presidente do Conselho Estratégico da Casa Firjan, José Luiz Alquerés, no Pensa Rio dessa quarta-feira, 24. O encontro online reuniu especialistas para debater a “Redução das desigualdades sociais e os impactos na diminuição da violência.”

Na visão do coordenador do tema, cientista político e diretor executivo do IEPS, Miguel Lago, a segurança pública não pode ser olhada somente pelo viés da polícia. “Nós temos problemas muito mais complexos que estão entre as causas da violência e por isso é tão importante envolver nesse debate o empresariado que pode ter um papel ativo nesse sentido.”

Michele Ramos, assessora especial do Instituto Igarapé – think thank brasileiro de segurança e desenvolvimento -, complementou que é preciso compreender a política de segurança pública como uma política de garantia de direitos. ”Quando treinamos o nosso olhar para entender as dinâmicas da violência no contexto da desigualdade, conseguiremos dar passos importantes para agir em nome da prevenção.”

Na visão da especialista, é somente por meio dessa compreensão que o poder público e a sociedade poderão diminuir as chances de o indivíduo ser vítima ou ator da violência. “Precisamos criar agendas de redução de evasão escolar, ações de política urbana para melhorar a qualidade de vida dos espaços públicos e projetos de capacitação profissional para a inserção social dos menos privilegiados”, defendeu.

A educação como a melhor forma de reduzir os índices de violência a médio e longo prazo também foi outro ponto levantado pelos participantes. “Não faz parte da nossa memória uma crise tão difícil como essa que vivemos agora. No momento em que o estado tem pouca capacidade de investir e priorizar demandas, é hora de reagrupar pessoas e mobilizar os empresários para renovar as ideias e começar de novo”, frisou Rubem César Alves, diretor executivo do Viva Rio.

Setor privado ajudando no combate à violência

Com a intenção de exemplificar os impactos positivos de  iniciativas realizadas entre o setor público e privado, Michele destacou a doação de uma plataforma de georreferenciamento para análise criminal. Segundo ela, o projeto do Instituto Igarapé contou com o apoio de um grupo de empresários e auxilia até hoje o Instituto de Segurança Pública do governo do estado Rio de Janeiro na utilização eficaz dos recursos policiais.

Outra iniciativa é o projeto Sócios da Liberdade, campanha criada em 2019 para incentivar empresários a empregar presas e egressas a fim de criar novas possibilidades de trajetórias e evitar a reincidência no mundo do crime. “Ampliar o entendimento sobre segurança pública passa pela proteção da  liberdade de viver sem medo, liberdade de viver sem carência e liberdade de viver com dignidade. Não há discussão de desenvolvimento se não for possível reverter o cenário da desigualdade no país”, finalizou.

Assista aqui ao Pensa Rio de 24/03

 
Para Empresas
Competitividade Empresarial Educação Qualidade de Vida