Portal Sistema Firjan
menu

Notícias

Firjan / Cultura/ Educação/ Qualidade de Vida

Indústrias do Conhecimento do SESI Cidadania facilitam estudo de crianças e adolescentes de comunidades na pandemia

Foto: Fabiano Veneza

Tempo médio de leitura: ...calculando.

Publicado em 23/04/21 10:52  -  Atualizado em  26/04/21 10:21

As atividades das Indústrias do Conhecimento (IC), do Programa SESI Cidadania, têm contribuído efetivamente para o aprendizado de crianças e adolescentes durante a pandemia. Esses espaços da Firjan SESI, nos quais há acesso à internet, estão facilitando a rotina dos estudantes de comunidades da cidade do Rio. “É importante reforçar o papel social do projeto neste momento tão sensível, sendo informativo sobre os cuidados em relação à Covid-19, além de desenvolver ações multiplicadoras para o território”, destaca Larissa Aguiar, analista de Projetos Especiais da Firjan SESI.

Criadas há dez anos, as Indústrias do Conhecimento estão funcionando atualmente em seis comunidades (Borel, Cidade de Deus, Morro Azul, Prazeres, Providência e Santa Marta). Os espaços possuem espaço para leitura, DVDs, vídeos e computadores. Os trabalhos retomaram em outubro passado, seguindo os protocolos de segurança devido à Covid-19. As oficinas e atividades, como: contação de histórias, rodas de conversa e palestras, seguem um tema central por mês, que, neste mês, por exemplo, envolveu o incentivo à leitura.

“Neste momento pandêmico, os moradores estão se deparando com outras vulnerabilidades para além da fome. A precariedade do acesso ao ensino remoto tem sido uma forte demanda relatada pela nossa equipe de auxiliares de biblioteca. Assim, tendo ciência dessa situação e visando contribuir para o acesso dos estudantes ao ensino remoto, incluímos na programação das IC’s um momento para que os computadores estejam disponíveis para quem necessitar. Além dos computadores, contamos com acervos literários para leitura e pesquisa”, explica Larissa.

Na IC Morro Azul, no Flamengo, crianças e adolescentes predominam nas atividades com os computadores. O espaço possui nove equipamentos com acesso à internet. As mães levam as tarefas da escola para as crianças pesquisarem e realizarem na IC. Já os adolescentes, usam o espaço para entrar nas aulas on-line. “É um papel fundamental poder contribuir com a formação da criança, dar um suporte, ainda mais na pandemia”, conta Ana Carolina Chaves, auxiliar de biblioteca e moradora do Morro Azul.

Isabele Rangel, 10 anos, e João Victor da Silva, 9, são dois estudantes que frequentam a IC Morro Azul para fazer atividades da escola no computador. Eles não têm acesso à web em casa, e ainda recebem o apoio de Ana Carolina. “Aqui a gente brinca, se diverte e estuda. Vejo a aula pelo computador e a Carol me ajuda muito”, resume Isabele. 

Na IC Cidade de Deus, a biblioteca tem sete computadores, que são usados, geralmente, por adolescentes que reservam o horário. “Os alunos não têm acesso à internet em casa. A dificuldade para estudar é grande. As crianças pequenas não têm contato com a escola e fazem atividades na IC”, detalha Elane Gabriel, auxiliar de biblioteca.

Confira as fotos

 
Para Empresas
Competitividade Empresarial Educação Qualidade de Vida