Portal Sistema Firjan
menu

Notícias

Competitividade

Evento Diálogos da Inovação discute o potencial do placemaking no desafio de revitalizar cidades

Placemaking consiste em planejar espaços públicos de qualidade que possam contribuir para o bem-estar da comunidade local

Placemaking consiste em planejar espaços públicos de qualidade que possam contribuir para o bem-estar da comunidade localFoto: Divulgação

Tempo médio de leitura: ...calculando.

Publicado em 09/09/21 11:13  -  Atualizado em  09/09/21 11:23

Principalmente a partir da epidemia da Covid-19, ganhou força o desafio de identificar, estudar e formular políticas para enfrentar novas questões referentes aos espaços públicos. Em 03/09, o Diálogos da Inovação trouxe para o debate o “Placemaking – o desafio de revitalizar as cidades”, com especialistas da Suécia e do Brasil.

Esse conceito consiste em planejar espaços públicos de qualidade que possam contribuir para o bem-estar da comunidade local, conforme pontuou Antônio Pedro Lima, analista sênior de Ambientes de Inovação da Firjan e mediador do evento. A série Diálogos da Inovação é uma iniciativa da Firjan com a Faperj e nesta edição contou com a parceria do Consulado da Suécia.

Mats-Ola Larsson, especialista ambiental sênior e gerente de projetos do IVL Swedish Environmental Research Institute em Gotemburgo, Suécia, compartilhou experiências e deu exemplos de transportes sustentáveis na Suécia. Um dos cases citados foi uma rua para caminhadas, onde carros e pedestres convivem, mas com um detalhe: a velocidade do veículo precisa ser igual à das pessoas.

“Focamos em acessibilidade para todos os grupos, ambiente, sustentabilidade, igualdade e equidade. E, como é impossível criar estradas e rodovias para todos os veículos, então, é mais aceitável hoje em dia fazer misturas mais seguras”, destacou Larsson, que também defendeu vias em que carros trafeguem na mesma velocidade das bicicletas, para que possam dividir o mesmo espaço.

Para Washington Fajardo, secretário municipal de Planejamento Urbano do Rio de Janeiro, o placemaking tem valor importante quando implica na possibilidade de interação da sociedade, designers e governos, para melhoria da cidade.

“Como processo de interação e diálogo, o placemaking é viável no ambiente digital, no processo de participação digital. Estamos hoje muito dedicados a poder dar uma flexibilidade de uso do solo na área central da cidade do Rio de Janeiro, dominada por edifícios de escritórios, para que passe a ter mais função residencial”, ressaltou Fajardo.

Segundo acrescentou, o programa Reviver Centro começou no início do ano com a utilização de recursos digitais, como plataformas de consultas públicas de maneira colaborativa, e já possui hoje mais de 8 mil participantes.

Assista aqui à integra da live

 

 
Para Empresas
Competitividade Empresarial Educação Qualidade de Vida