Portal Sistema Firjan
menu

Notícias

Competitividade

Aquário Casa Firjan: blockchain mostra histórico dos produtos e aumenta confiabilidade das empresas

Tempo médio de leitura: ...calculando.

Publicado em 21/04/21 11:25  -  Atualizado em  21/04/21 11:32

Transparência e rastreabilidade são competências do blockchain que permitem desvendar o que está por trás de um produto, desde a sua origem até o destino final. Esse é, em resumo, a conclusão de especialistas que participaram da live “Blockchain na indústria: Como criar confiança e transparência nos negócios”, do Aquário Casa Firjan, de terça-feira, 20/04.

O blockchain torna a coordenação de dados eternamente verificáveis a partir da rastreabilidade e da imutabilidade, afirma Luciano Britto, CEO da Rhizom. “A verificabilidade é o ganho efetivo desse novo sistema, que nos últimos cinco anos tem gerado mais confiança e transparência na coordenação de dinheiro e de mercadorias, entre outras coisas”.

De acordo com Britto, o blockchain pode ser aplicado na indústria, em todos os setores de âmbito social dos negócios. Quando se fala de indústria alimentícia, por exemplo, “as aplicações mais pertinentes são as de rastreabilidade, que possibilita o controle da cadeia produtiva e permite que o cliente final tenha acesso a todo o histórico daquela mercadoria. Ele pode saber se o produto teve um comércio justo, quais são os ingredientes e, se for uma proteína animal, se ele tomou as vacinas”, esclareceu o CEO da Rhizom.

Renato Paquet, fundador e CEO da Polen, que comercializa resíduo de indústria como matéria-prima para outras empresas, explicou que encontrou na blockchain EOS a solução para garantir rastreabilidade e confiabilidade de todos os dados imputados na plataforma. Além de atender às necessidades da empresa, a blockchain EOS foi escolhida por ser a única neutra em emissão de carbono do mundo e por gastar menos energia, avaliou Paquet, no encontro mediado por Iuri Campos, líder do Aquário Casa Firjan.

Após destacar a importância das escolhas de consumo nos dias de hoje de acordo com o histórico da marca, Dari Santos, presidente do Instituto Alinha e conselheira do Engajamundo, contou ter implementado o blockchain para atestar a confiabilidade necessária na indústria da moda para o consumidor.

“Trabalhamos com blockchain, garantindo a rastreabilidade da produção, para que as marcas que querem assegurar confiança nos consumidores consigam informar ao cliente exatamente quem fez sua roupa, em que condições essa pessoa trabalhou e quanto ganhou”, esclareceu Dari, destacando que a transparência agrega valor ao produto.

Clique aqui para assistir o evento na íntegra. 

 
Para Empresas
Competitividade Empresarial Educação Qualidade de Vida