Portal Sistema Firjan
menu

Notícias

Competitividade

Navios autônomos e e-Navigation são destaques em evento marítimo com participação da Firjan

Tempo médio de leitura: ...calculando.

Publicado em 17/09/21 17:01  -  Atualizado em  06/10/21 11:57

O e-Navigation e os navios autônomos são as novas tendências de negócios no ambiente do Cluster Tecnológico Naval do Rio de Janeiro (CTN-RJ). Com esse destaque, Carlos Erane de Aguiar, 2º vice-presidente da Firjan, presidente do Conselho de Administração do CTN-RJ e diretor-presidente do Sindicato Nacional das Indústrias de Materiais de Defesa (Simde), abriu os painéis internacionais da manhã do 1º Fórum Brasileiro de Inteligência Artificial para Navios e Navios Autônomos, em 17/09.

“O e-Navigation ou navegação aprimorada está entre os projetos de modelos de negócios que estão sendo discutidos no ambiente do Cluster marítimo do estado. A sedimentação desse conceito permitirá um tráfego de dados mais eficiente desde o porto de origem, em qualquer parte do planeta, até seu destino, agilizando operações de serviços alfandegários, sanitários, tributários, de segurança marítima, de navegação e de meteorologia, entre outros”, explicou Erane. 

Segundo Erane, que também é presidente do Conselho Empresarial de Defesa e Segurança Pública da Firjan, novas tecnologias poderão ser agregadas às infraestruturas portuárias, observando o conceito da indústria 4.0 na automatização e digitalização dos portos, obtidas pela robótica, big data, internet das coisas (IoT), blockchain e inteligência artificial. “É nesse mesmo cenário que os navios autônomos também se apresentam como uma tendência, que evolui rapidamente nas tratativas para a regulamentação da operação de sistemas marítimos autônomos”, contextualizou.

O evento foi mediado por Alejandro Caprario, presidente do Cluster Brasileiro de Inteligência Artificial para Navios e Navios Autônomos (Cianna), organizador do evento. O encontro on-line discutiu, em dois dias, os desafios da indústria; a importância da produção nacional de novas tecnologias; e a necessidade de aprovação de reformas pelo Congresso Nacional para alavancar a competitividade do Brasil

Diante do que vem se intensificando no Rio de Janeiro com o desenvolvimento das novas tecnologias, Erane sinalizou que há novas oportunidades de negócios surgindo. Mas acredita que ainda é preciso consolidar um arcabouço legal que ampare o emprego dessas tecnologias, proporcionando mais segurança jurídica aos empreendedores do setor.

Na esteira da consolidação de um hipercluster marítimo brasileiro, o CTN-RJ se encontra em vias de assinar um acordo de cooperação técnica com o cluster marítimo de Santa Catarina e com o do Rio Grande do Sul. “Estamos com esperança de que o cluster se propague e se consolide no Brasil inteiro”. 

Erane ressaltou ainda que o estado do Rio é sede do Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), centro dedicado ao estudo de inteligência artificial e que dispõe de infraestrutura de alto desempenho. “No Rio também se encontra o Instituto SENAI de Inovação em Sistemas Virtuais de Produção, da Firjan, que é membro do Centro de Pesquisa Aplicada em Inteligência Artificial para Indústria 4.0, ligado ao Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovações”, acrescentou.

 
Para Empresas
Competitividade Empresarial Educação Qualidade de Vida