Portal Sistema Firjan
menu

Notícias

Economia

Casa Firjan: inovação na gestão pública é um risco necessário

Para Luana Lourenço, subsecretária de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação, ainda há pouca clareza sobre a definição do conceito de inovação no setor público

Para Luana Lourenço, subsecretária de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação, ainda há pouca clareza sobre a definição do conceito de inovação no setor públicoFoto: Vinícius Magalhães

04/07/19 16:21  -  Atualizado em  04/07/19 16:27

Inovar é, ao mesmo tempo, um desafio e uma necessidade para o setor público, que precisa acompanhar as demandas cada vez mais complexas da sociedade. Quais os desafios e as possibilidades? Esse foi o tema da quarta edição dos Diálogos da Inovação, realizados quarta-feira, 03/07, na Casa Firjan.

Para Luana Lourenço, subsecretária de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação, ainda há pouca clareza sobre a definição do conceito no setor público. “As pessoas precisam compreender que a inovação é disruptiva; ela abala estruturas. E inovar é arriscar-se. A cultura da burocracia e o conservadorismo ainda são muito predominantes no setor público, o que nos impõe o grande desafio de mexer nessa estrutura para dar espaço às novas ideias”, argumentou.

Além da aversão ao risco, Luana também apontou como gargalo a falta de diálogo entre gestor, área técnica e parceiros privados. Para vencer esses desafios, a Secretaria está implantando uma rede de inovação comprometida com a difusão de iniciativas, a cooperação técnica entre órgãos públicos e a integração entre atores. O projeto faz parte da agenda prioritária do governo do estado. “O Rio tem uma comunidade científica brilhante e queremos incentivar soluções inovadoras que tenham impacto efetivo na sociedade. Nossa proposta é criar um ambiente seguro e atuar como um facilitador para o ecossistema de inovação”, afirmou.

Axel Grael, secretário Municipal de Planejamento, Orçamento e Modernização da Gestão de Niterói, trouxe exemplos de ações bem-sucedidas. Um passo inovador, segundo ele, foi a regulamentação do Fundo de Equalização de Receita, onde é depositado 10% de toda a receita dos royalties de petróleo. Com isso, o município se previne de futuras crises fiscais.

Grael também citou a criação do portal do Sistema de Gestão da Geoinformação de Niterói (Sigeo Niterói), disponível gratuitamente ao público. A plataforma integra todas as informações georreferenciadas da prefeitura, facilitando o acesso e o uso de dados para planejamento e estruturação de políticas públicas. “Nosso objetivo é auxiliar a gestão pública municipal e, mais do que isso, incentivar a população a se apropriar dessas ferramentas”, ressaltou. 

Cidades inteligentes

Sérgio Rodrigues, CEO da Lemobs, falou sobre o trabalho da startup, que apresenta soluções inovadoras para a gestão de serviços municipais, através do desenvolvimento de softwares para cidades inteligentes. Um de seus produtos, o Sigelu (Sistema de Gestão e Limpeza Urbana), facilita a gestão integrada do lixo urbano por meio de uma única interface, que reúne equipes por mapas interativos, relatórios inteligentes e apps para multas em rede. “Tudo está cada vez mais automatizado e a tecnologia pode ajudar muito na gestão das cidades. Não se trata apenas de facilitar a vida dos gestores, mas de toda a população”, analisou.

Já Beatriz Ferreira, cocriadora da rede Novos Designs para a Gestão Pública, debateu sobre a aplicação do design. Em sua visão, ele deve fazer a ponte entre o gestor e a população, criando uma linguagem comum e dando voz e força às iniciativas. Ela destacou os Laboratórios de Inovação em Governo como locais onde a metodologia do design tem maior entrada para propor soluções. Como mudanças já observadas, Beatriz citou a consciência dos métodos e ferramentas do design, o engajamento da sociedade e a possibilidade de prototipagem para o setor público. “Os laboratórios vêm ganhando força nos últimos tempos e são fundamentais como espaços de experimentação e criação, reunindo profissionais das mais variadas formações”, sublinhou. 

Os Diálogos da Inovação acontecem uma vez por mês na Casa Firjan, com o objetivo de discutir sobre as mais importantes temáticas dentro do âmbito da inovação no Brasil e no mundo. O evento conta com parceria da Faperj e da Bambual Editora. Acompanhe aqui a agenda completa da Casa Firjan

 
Para Empresas
Competitividade Empresarial Educação Qualidade de Vida