Portal Sistema Firjan
menu

SESI Cultura Digital

HACKATHON SESI CULTURA DIGITAL 2016

 

O Hackathon, a maratona hacker do SESI Cultura Digital, é um encontro “mão-na-massa” em que programadores, designers, jornalistas, cineastas e outros profissionais e amadores se reúnem para, em três dias, produzirem protótipos e projetos a partir de um desafio.

Na edição 2016 do Hackathon, o tema foi Realidade Virtual/Aumentada, e os grupos participantes foram desafiados a encontrarem soluções digitais a partir desse tema.

O desafio aconteceu de 13 a 15 de outubro, com as etapas de mentorias e desenvolvimento dos projetos no SENAI Laranjeiras e apresentação final e premiação no Teatro SESI Centro. O grupo vencedor recebeu um prêmio no valor de R$ 8 mil e o segundo colocado ganhou R$ 4 mil. Os integrantes do terceiro lugar ganharam bolsa de estudos no SENAI Laranjeiras.

vencedores-hackathon-2016.jpg

Conheça os projetos vencedores:

PRIMEIRO LUGAR

A equipe vencedora foi a Sonserina, com o projeto “Self Mount”, uma ferramenta que usa a realidade aumentada para ajudar na montagem de móveis. Já pensou em um simulador que ensina direitinho a montar as peças daquela estante irada que você comprou e ainda mostra o melhor lugar para instalar? 

Participantes:
Igor Souza Franco de Almeida
Marcus Vinicius Carneiro de Freitas
Matheus Lito Pinto
Wanderson Trindade Vitorino

Prêmio: R$ 8 mil para a equipe.

SEGUNDO LUGAR

Equipe Acessibilidade Aumentada, com o projeto de mesmo nome que usa, através de um aplicativo mobile, a realidade aumentada para disponibilizar legendas a deficientes auditivos durante exibições de filmes em casa ou em salas de cinema. 

Participantes:
Flavio da Silva Mayerhofer
Gustavo Antonio Dias de Lima
Marcio Henrique da Rocha Brandão
Vinícius Guerra Cardoso

Prêmio: R$ 4 mil para a equipe.

TERCEIRO LUGAR

Houve um empate entre duas equipes, que também foram incríveis! A Double Dash apresentou o “Securibot”, jogo mobile de realidade virtual cujo objetivo é encontrar soluções para prevenir acidentes de trabalho dentro de uma empresa. Já a Nave criou o "Trippr", aplicativo para mochileiros que converte o dinheiro que você tem em mãos para o valor de uma moeda estrangeira usando a realidade aumentada.

Prêmio: bolsas de estudo no SENAI laranjeiras para todos os integrantes.

Equipe: Double Dash

Participantes:
Lucas de Souza Amorim
Lucas Fernandes Thiers
Luíza Shizue Quinn Shimura

Equipe: Nave

Participantes:
João Ricardo Freitas Lages Gomes Alves
Matheus Avellar de Barros
Milena Crivella Veríssimo da Fonseca
Vinicius Ferreira Leite Apolinário

Sobre o tema:

Desafio Hackathon: Realidade Virtual/Aumentada

Coordenador: Henrique Andrade
Facilitadores: Bruno Horácio, Cadunico, Miguel Lessa, Kim Kaznowski e Vitor Balbio

O século XXI vem sendo marcado pela convergência entre os mundos real e digital e as tecnologias que apresentam maior potencial para serem as grandes catalisadoras desse novo paradigma são as realidades virtual e aumentada. A primeira permite a criação de ambientes digitais e a sensação de imersão em um mundo planejado, enquanto a outra é a técnica de misturar camadas de mundos digitais com a vida real.

Enquanto a mídia presta atenção no futuro da indústria dos games com essa tecnologia, como Pokémon Go, que promove a caça por monstrinhos digitais pelo mundo real e que chegou a 100 milhões de downloads em apenas um mês, suas potencialidades se estendem por todas as áreas da indústria, com alguns casos de sucesso já consolidados no mercado.

Aplicativos como Spacemaker VR, que oferece a arquitetos tours virtuais imersivos por seus projetos, tradutores automáticos que utilizam câmeras de celulares para ajudar turistas e imigrantes, além de capacetes inteligentes que aumentam o ângulo de visão e oferecem informações relevantes a motociclistas são exemplos dessa tendência.

Dentro da indústria, a realidade aumentada tem sido utilizada para auxiliar trabalhadores em linhas de produção que precisam seguir instruções minuciosas de manuais. Ao adicionar informações à visão do colaborador, a tecnologia permite não só ganho de produtividade como diminui a incidência de erros. Hoje casos de sucesso dessa aplicação podem ser encontrados tanto no Brasil, como na plataforma da Iveco em Sete Lagoas (MG), como em gigantes globais como a Boeing.

Nesse contexto, a escolha pelo tema Realidade virtual/aumentada é uma aposta no futuro, mas com os pés na realidade. Afinal, o desenvolvimento de projetos com essas tecnologias podem não só estimular os jovens participantes a se especializarem na área, como também potencializar o surgimento de novas soluções que possam impulsionar a indústria nacional.

Confira como foi a programação do Hackathon:

 
Para Empresas
Competitividade Empresarial Educação Qualidade de Vida